segunda-feira, 26 de dezembro de 2011

Nosso Natal





Sempre amei o Natal. Pra mim as festas de fim de ano são as melhores. Não tem Carnaval, São João, aniversário... Nada supera esse mês. É uma época que a gente reflete, faz uma retrospectiva do que vivemos durante todo o ano e tentamos melhorar no próximo. 3 palavras resumem bem o Natal para mim: nascimento, família e perdão. Nascimento de Cristo, que nasceu para nos salvar... E quando penso em nascimento, penso em Clarissa. Esse ano pude começar a construir a minha família e não tenho palavras pra agradecer a Deus pelo marido e filha maravilhosos que ele me deu. O amor de mãe é um amor tão grande que dói. Algo inexplicável, imenso que ainda consegue crescer e se renovar a cada dia. É mágico! Família... É a base de tudo! É com quem podemos contar nos momentos difíceis. Lembro-me, quando era pequena, dos Natais em família. A árvore de Natal enorme, o amigo secreto, as brincadeiras, a troca de presentes, o Papai Noel. Amo Natal com troca de presentes. Esse ano não pude armar uma árvore de natal e enchê-la de presentes no seu pé. A grana tá super curta, a prioridade agora é terminar nossa casa. Estamos na fase de acabamento e quem já constuiu algo sabe o quanto o acabamento é caro. Mas estamos felizes. Acho que o maior presente que meu marido, Clarissa e eu pudemos trocar, nós trocamos: amor, união, paz. Isso sempre tem aqui em casa! Quero que Clarissa cresça acreditando em Papai Noel. Eu era tão feliz acreditando e ganhando presentes dele. Próximo ano ela já estará maiorzinha, acho que não dormirá a noite inteira e quero um Natal bem recheado, com árvore, enfeites e papai noel. Já posso ficar imaginando a carinha dela com tudo isso.
Perdão... Como terminar um ano com rancor, ódio, raiva de alguém? O perdão é algo que devemos particar todos os dias. É difícil eu sei. Mas devemos perdoar pelo menos de coração a quem nos ofendeu, nos fez mal... Perdoar é algo nobre que nos faz sentir melhor.

Nosso Natal foi maravilhoso! Não sei o porquê eu estava bastante emotiva. Vontade enorme de chorar. talvez por todas as alegrias e tristezas que houve durante esse ano. E também porque toda roupa que eu vestia me sentia mal. Estou enorme. Estou feia. Estou lutando contra a balança... Mas chego lá.
Ter a nossa filha conosco nessa data foi mágico! Apesar de ela dormir a noite inteira, só o fato de ela existir fez de mim e Robinho pessoas mais felizes. No momento da oração e agradecimento a Deus, fiz questão de pegá-la, dormindo mesmo, pra que ela participasse daquele momento. Ela acordou, ficou uns minutos acordada e voltou a dormir. Nossa filha é o encantamento em pessoa. Não estranha ninguém, vai de braço em braço e não chora pra nada. Minto, chora! Pra comer ou quando está cansada demais e quer dormir. Todos ficavam impressionados como ela dorme bem, como ela não aperreia e eu agradeço muito a Deus por isso.
Clarissa resolveu presentear seu pai e eu antecipadamente. Dia 23/12 estávamos brincando com ela, e ela com olhar fixo no cordão de ouro no pescoço do pai. Ele tirou o cordão e aproximou dela. Notamos ela inquieta, mexendo o coprinho e bracinhos pra frente... Ela insistiu tanto, mas tanto que conseguiu. Tocou no cordão e puxou pra si. Seu pai ficou bobo. Gritou: olha o braço dela, olha o braço dela. E eu pude registrar aquele momento na memória. Que lindo! Mais uma grande conquista de nossa Flor.
Incrível como um filho mexe com a gente. Cada conquista dele é uma imensa vitória pra gente. Pros outros pode parecer algo tão pequeno, pra nós não existe presente maior. Ver um filho crescer saudável, esperto e lindo não tem preço!

E o Natal de vocês como foi?

quinta-feira, 22 de dezembro de 2011

Boas festas


Amores... Sei que estou em dívida com todo mundo. Faz tempo que não venho aqui e que não visito os blogs. Mas vocês sabem né? A correria de fim de ano, junto a uma mãe sem babá justifica bem meu sumiço.
Saudade de todos os bebês e mamães lindos!
Foi muito bom compartilhar do meu ano com vocês. Um ano cheio de acontecimento fortes e o principal: o ano em que tive a notícia de que estava grávida e que minha Flor nasceu. Perfeito!
Só tenho a agradecer a Deus por todas as maravilhas que ele faz em minha vida. Agradeço também pelos momentos difíceis, pois sei que ele está sempre do meu lado me dando suporte e me deixando mais forte.
Obrigada Senhor por tantas bençãos. Pela minha família saudável e unida, por eu ter conquistado tantos amigos por aqui, pelo marido maravilhoso e pela filha iluminada, abençoada, saudável e perfeita que me deste.
Espero que o Senhor continue a guiar meus passos por todo o ano que se aproxima e que assim seja na vida de todos que estão lendo meu post agora.
Abençoa a todos os bebês, crianças, famílias. Todos aqueles que não podem ter um Natal tão feliz e farto como o nosso. Mas o principal é a união, a paz e o amor da família.


A todos Um Feliz Natal! Assim que der eu volto. Amanhã estarei viajando e meu pai que mora em Fortaleza está por aqui. Então estamos aproveitando!!!
Beijossss

sexta-feira, 16 de dezembro de 2011

Fim de ano? Já?


Quando o carro para no sinal ela se abusa gente... Vê se resisto a essa carinha?



Como assim? Semana que vem já é Natal? Sério! Ainda não tinha me dado conta disso... Em outros anos eu estaria na rua, olhando vitrines escolhendo a minha roupa de passar Natal e Ano Novo. E hoje? Nem me dei conta de que já estamos enfim findando o ano. Nossa! Voou.
E que ano maravilhoso. Até as coisas ruins que aconteceram serviram para fortalecer a família, para nos tronar mais fortes e crentes no Senhor.
Grças a Deus estamos terminando o ano com mil e um motivos pra sorrir. Problema familiar resolvido, família toda unida, meu pai chegando domingo pra passar o mês conosco e conhecer a netinha, Clarissa super saudável e cada dia mais esperta, nossa casinha quase concluída.
Palavras pra agradecer a Deus por tudo isso? Não existe! Impossível descrever minha felicidade. Sinto-me plena, realizada, amada, feliz. Só não me sinto ainda tão bonita como antes, mas isso é outro assunto.
As roupas que antes eu olhava pra mim, agora olho pra Clarissa. Parece que quando temos um filho nada mais importa. É tudo pra ele. Sei que não devemos nos descuidar, mas qualquer elogio a nossos filhos nos enche de alegria e orgulho... Eu amo
Comprei apenas duas roupas pra mim. Estou em processo de emagrecimento. Tenho que perder 15kg pra ontem... Então não adianta renovar guarda roupa agora.
Já perdi 15kg dos que engordei. abafa o caso mas exagerei geral. engordei 23kg na gravidez. Se me arrependo? Não de maneira alguma. Comi muito brigadeiro de panela, coisa que sabia que não poderia comer amamentando... então, fui uma grávioda feliz. E já estou perdendo tudo que ganhei. Ainda bem.
Ando sumida daqui. Novidades sempre tem. Clarissa cada dia mais encantadora. Conversa sem parar. Uma coisaaaaa.
Dói o peito só de falar dela. Meu amor só aumenta a cada dia. E a preocupação de voltar ao trabalho daqui a 5 meses também. Ainda não encontrei ninguém pra cuidar dela. E agora José???
Mas se Deus quiser nem precisarei voltar pra o meu trabalho. Deus permitirá que eu passe no teste físico da PRF e daqui pra lá serei puliça gente...
O concurso que eu tanto esperava está voltando. Estão pegando a organizadora para continuar o processo de testes. Por isso preciso ralar muito e treinar pra esse teste físico. 9 meses engordando e sme exercício não é nada bom hein? Já recomecei as caminhadas e os trotes. Daqui a pouco estou correndo e fazendo tudo o que exigem. E aí vou poder trabalhar apenas 1 dia e folgar 3. E serei a mulher mais feliz do mundo, pois terei tempo pra minha bebezona.
Quem sabe não me empolgo e faço logo outro?
Torçam por nós!

segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

Calorão e primeira festa da Clarissa

Esperando mamãe se arrumar
Na festa dormindo como se não existesse barulho nem ninguém por perto
Dançando no chuveiro

Aqui o calor está de matar. Imagine o verão do Nordeste... Muito sol né? E Clarissa que é super calorenta reclama e pede banho toda hora. E a Pequenininha que antes tomava apenas um banho após o banho de sol, agora toma 3 ou 4 banhos por dia. E detalhe: de chuveiro.
Ela prefere assim. A banheira parece que está pequena pras batidas de pernas da menina. O quarto fica um aguaceiro só. E no chuveiro ela parece relaxar mais. Além do mais lá ela tem sempre a companhia da mamãe ou do papai... A parte chata só é quando tiramos ela da água. A menina chora, chora sem parar.

Sábado, levamos a Clarissa pra primeira saída dela noturna. Tínhamos um casamento pra ir e no dia era folga da babá. Tivemos e fizemos questão de levá-la. Fiquei imaginando e temendo mil coisas. Ela estranhar o barulho, as luzes, o som, a quantidade de gente... De ela chorar e a gente ter que voltar antes mesmo da festa começar.
Quando ela acordou as 21h pra mamar, dei seu banho e arrumei. Ela ficou quietinha de barriguinha cheia enquanto eu me arrumava. E antes mesmo de chegar na festa Clarissa já estava dormindo com o balanço do carro. Pensei de ela acordar com o barulho... Mas quem disse? A garotinha é mesmo um anjinho. Ficou com minha tia Rosa quietinha em seu bebê conforto, enquanto meu marido e eu dançávamos e aproveitávamos a noite.
Obrigada meu amor!

quarta-feira, 7 de dezembro de 2011

Clarissa e o mar





Estamos tendo dias maravilhosos. Sei que estou devendo visitas a todas, mas é que o maridão tirou uns dias de folga e estamos aproveitando.
Ontem fomos a nossa casa de praia no Miaí. Clarissa ficou encantada com o mar. Era cada olhão e batia as pernas como se quisesse ir pra água. Parece até exagero meu. Mas estou achando minha menininha meio precoce. Gente vocês não tem noção do quanto ela conversa, ri e pede as coisas pra gente. É normal isso aos 2 meses?
Relembrei da primeira vez que Clarissa mexeu em meu ventre. Foi exatamente no Miaí e meu marido pôde sentir já na primeira vez. E coincidência ou não, Clarissa que sempre acorda depois das 6h, hoje acordou as 4h e não teve jeito pra dormir de novo. E foi exatamente nesse horário que ela mexeu pela primeira vez pra nós.
Lembro que fiquei sem saber direito o que era aquilo em minha barriga. Parecia os batimentos cardíacos só que em minha barriga. Aí acordei meu marido: amor, amor e coloquei sua mão em minha barriga. Pra ver se ele sentia o mesmo que eu. E ele falou: vamos acordar que Clarissa quer ir a praia.
Lindo né?
Ficamos eu, ela e seu pai, conversando, esperando o sono dela voltar, mas quem disse. Então resolvemos ir a praia dar o banho de sol nela... Olhem o resultado!

Ah! o pai dela insistiu pra gente dar banho de mar e eu não quis. Acho muito novinha pra isso. A água da piscina é agua doce. ela amouuuu

domingo, 4 de dezembro de 2011

2 meses de Clarissa







Minha bebezinha, hoje faz dois meses que você mudou minha vida por inteiro. Hoje faz dois meses que você nasceu. E é impossível olhar pra você e não chorar de felicidade. Aliás é isso que você representa na minha vida e na de seu pai: FELICIDADE PLENA!
Poderíamos estar vivendo apenas dias difíceis por conta do nosso problema familiar... Mas parece que tudo se torna tão pequeno diante de você minha Flor. A cada desenvolvimento seu ficamos bobos, impressionados, abestalhados...
E é incrível como você se desenvolve rápido. Cada dia é algo novo. Cada dia é uma descoberta. Cada dia ficamos mais felizes com tudo isso.
Já aprendemos a decifrar tudo que você quer nos dizer através de seu choro... E agora tudo se tornou mais fácil!
Com apenas dois meses você já fala como uma tagarela. Começou semana passada. Você olhava pra sua bonequinha no trocador e conversava. olhava pra seu pai, olho no olho e conversava. Ele se derrete todo.
Mas dia 02 filha, na sexta feira, você me olhou nos olhos, falou comigo e quando te dei um beijo você sorriu. Achei lindo, mas pensei que fosse coincidência. Resolvi te beijar de novo e você repetiu o feito: sorriu. E eu chorei! Você já sorri pra mim meu amor. Você conversa comigo. Que fase linda!
Você voltou a sorrir, não está mais irritada como antes e agora fica sozinha em seu carrinho assistindo tv, quando passa algo que te interessa. O engraçado é que você assiste e comenta tudo. E seu pai e eu ficamos atrás do carrinho, pra você não nos ver, e babando, e olhando um pro outro, quase sem acreditar no que estamos vendo.
Você já tomou seu banho de chuveiro. Pensamos até que você iria ter medo. Começamos devagar. Mas você amou. Bateu as perninhas como faz na banheira e fechava os olhinhos quando a água caia no seu rosto. Que lindo! O ruim só é quando temos que desligar o chuveiro... Você chora, chora e chora. Pede mais! Seu pai e eu rimos sem parar.
A banheira parece estar pequena pra você. Você fica olhando seus brinquedinhos na água e bate os braços, bate as pernas... Só ainda não consegue pegar as coisas. Mas creio que não demorará muito para isso.
Para comemorar seu segundo mês em nossas vidas, passamos um fim de semana maravilhoso. Sua tia e prima veio pra cá e saimos bastante. Ontem fomos a orla comer tapioca. E você só pediu meu leitinho mesmo. E hoje fomos novamente à orla. Hoje teve um gosto especial. Ao ver o mar você ficou paralisada. Parecia encantada. E isso nos encheu de orgulho meu bem.
Amanhã teremos que tomar 4 vacinas. E meu coração já está quebrado. Não queria te ver chorar. Mas é pro seu bem tá meu amor. Depois das vacinas iremos pra nossa casa de praia. será sua primeira vez lá. Papai tirou 3 dias de folga e vamos descansar um pouco.
Acho que teremos muitas novidades na volta.
Beijinho meu bem. Que papai do céu continue te iluminando!

segunda-feira, 28 de novembro de 2011

Dias difíceis



Temos tido dias difíceis... Tenho chorado e pensado muito sobre a maternidade e o dilema de amamentar.
Precisei respirar fundo e contar até 3 para não ser tão grossa como o anônimo que comentou em meu último post. Por isso sumi. Sem respondê-lo à altura. E agora, acho que está tudo se encaixando.
Pequei em meu último post ao falar que Clarissa estava com manha. Também não acredito que bebês nessa idade tenham isso. Mas é essa palavra que usamos para bebês que querem sempre colo né? E acabei errando também!
Acredito que Clarissa tem aprendido tudo que tenho ensinado. E aqui em casa não poupamos amor a ela. Realmente passamos o dia todo com ela nos braços, e isso não era problema. Nunca foi.
Clarissa foi a bebê mais desejada desse mundo. Seu pai e eu namoramos e esperamos um ano inteiro para enfim termos a confirmação de que ela estava em nosso ventre.
Fizemos um enxoval com direito a tudo, embora nossa renda não seja tão grande assim.
Passamos os 9 meses conversando e demonstrando amor ao nosso bebezinho que nem estava aqui fora, mas já era o mais amado do mundo. Eu passei todo o período lendo sobre amamentação e tudo que envolve a maternidade. Queria estar 100% pronta pra chegada dela.
Tive alguns problemas na gestação. Bateram em meu carro duas vezes nesse período, tive que mudar de casa meio que às pressas, passamos por alguns prejuízos financeiros e um problema familiar enorme que ainda não foi resolvido.
Ela nasceu. Tão serena, calma. Só dormia e mamava. Eu sentia que meu peito não era o suficiente e acrescentei o Nam à alimentação dela.
Na sua primeira consulta a médica disse que ela engordou bastante e sugeriu eu dar só o peito agora para ver se realmente eu não tinha leite o suficiente.
Falei pra ela que estava tentando de tudo para minha produção de leite aumentar. Cuscuz, munguzá, caldo de cana, tintura de algodoeiro, suco de uva, muittttooo líquido e todas essas besteiras que todo mundo falam e que só faz engordar. Ela disse que o principal era a Pequena sugar. Que eu a deixasse em meu peito o tempo que ela quisesse. E assim fiz! Por quê fiz isso?
Minha produção de fato aumentou. Não sei se ainda o suficiente para saciá-la, mas aumentou. Mas em compensação virei prisioneira de Clarissa. Exceto na hora do banho e do sono profundo - sim porque quando cochila ela quer estar com meu peito na boca - estou amamentando Clarissa. Melhor dizendo, Clarissa está fazendo meu peito de chupeta.

pausa - ela acordou chorando, vou dar de mamar
Despausa

Pois é. Eu adoraria poder ser prisioneira de Clarissa pra sempre. se todos os nossos problemas fossem amamentar 24h nossos bebês seria ótimo né? Mas infelizmente não poderei estar 24h com ela pra sempre. E ela tem que aprender isso. E também, alow eu existo. Existo também como mulher e não só como mãe. Começou a me incomodar a situação de meu marido sair e chegar em casa e eu estar com os peitos na boca de Clarissa. Todas as visitas presenciavam eu amamentando. Nem pra ir no banheiro eu tinha tempo. A garota me sugava de um jeito que eu parecia que ia desmaiar. Já não estava mais aguentando. Então resolvi tirar isso.
Que sofrimento!
Na sexta, dia 25, depois de amamentar por mais de 1 hora e perceber que Clarissa fazia meu peito de chupeta, resolvi tirar. Pra que? A garota se transformou... Chorava sem parar. Acho que os vizinhos pensavam que a mãe dela não estava em casa. E eu ninando, abraçando, mimando, balançando. Nada fazia ela parar de chorar. E não era chorinho não. Era choro mesmo, alto. Se os vizinhos viessem aqui eu já estava pronta para mentir dizendo que era cólica. Eu já não suportava mais amamentar Clarissa. É triste dizer isso mas é real.
Ela chorou por 1h10min. E eu chorei junto. Mas até que enfim, pegou no sono. Passei a noite me sentindo mal, a pior das mães. Mas eu me sentia sugada pela minha filha. E amamentar, que antes era o melhor momento de nós duas, passou a ser um momento de tortura pra mim.
No sábado dei de mamar, quando tirei ela voltou a chorar. Dessa vez o choro foi educado e rápido. Ela percebeu que eu não ia ceder e acho que teve pena de mim. Eu pedia tanto, chorando, pra ela se acalmar, pois eu queria o melhor pra ela...
No domingo ela tava querendo estar em meu seio 24h. Então resolvi tirar o leite do peito e dar na mamadeira. Que sofrimento pra mim. Amo tanto amamentar minha filha e estava tendo que fazer aquilo. Meu marido foi importantíssimo nesse fds pra nós duas. Eu, sinceramente, parecia que ia enlouquecer. Comecei a pensar na volta ao trabalho, nos compromissos que tenho, mas chorava feito bezerra desmamada, pois não queria deixar minha bebezinha com ninguém.

Como é diferente ela mamar na mamadeira. Fica com o olhão aberto, olhando pra mim. Como quem diz 'esse não é seu peito mamãe, mas o leitinho tá gostoso'. Quando ela mama em meu peito revira os olhinhos de prazer e depois dar risinhos de satisfação.

Hoje já noto diferença nela. Percebo que ela está aprendendo que o peito da mamãe tem horinha certa. Claro que sente falta. Mas não faz mais escândalo. E depois de quase um dia sem dar meu peito pra ela, resolvi testar agora na pausa que fiz. Deu certo. Ela mamou 40min, tirei o peito e ela não reclamou.
Ufa! Não quero perder esse momento só nosso. Agora ela tá aqui quietinha como sempre foi, no meu colinho, enquanto termino o post. Que assim permaneça!

quarta-feira, 23 de novembro de 2011

Rotina feita e manha da Pequena



Oie... saudades! Sumi... Tava ocupada com os cuidados com Clarissa, afazeres domésticos, obra da casa, etc.
Venho com novidades. Segunda-feira foi a primeira noite de Clarissa em seu bercinho. Ela dormiu como um anjo, no entanto a mãe boba aqui, não dormiu nem segunda, nem ontem. Ia direto em seu quarto, embora a babá eletrônica avisasse que estava tudo bem.
Ela agora segue uma rotina certinha. Acorda todos os dias as 4h30 da manhã... É, aconteça o que acontecer, ela smepre acorda essa hora. affff Mama sem parar até as 5h30 e vai tomar banhinho de sol com mamãe. Não gosta muito dessa parte, e muitas vezes tenho que dar o peito pra ela se aquietar. Depois vai pro colinho da babá, enquanto mamãe a papai tomam café. Toma seu banhinho com mamãe e assiste Patati Patatá até pegar no sono. Nem sempre está dormindo pela manhã. A garotinha aqui está bem esperta e quer ficar conversando direto. Mama de 3h em 3h. Muitas vezes quer o peito mais vezes. Dou. Por volta das 18h dou seu sgeundo banho - ela ama essa hora e chora quando tiro da água, dou de mamar e ela dorme por volta das 20h ou 20h30. Dorme no horário certo e a noite inteira. Ah! Claro que acorda pra mamar, mas apenas uma vez. Mamãe agradece.
O único problema agora é que minha bebezinha tá numa manha só. e não é pico de crescimento não. Ela durante o dia só quer braço, e como estápesada, fica dificil da gente aguentar. Detalhe: ela quer ficar no braço e em pé viu? Caso contrário, choraaaaaa, chorraaaaaa e chora. sem parar!
Ah! Também anda fazendo meu peito de chupeta. Mama, mama e depois dorme. Quando tiro o peito, reclama, faz escândalo. Nossaaaaaa! Já tentei dar chupeta, comprei dois bicos diferentes, mas quem disse que ela quer? A garotinha só quer o peitinho da mamãe e ai de quem não atendê-la!
Estou tentando ser paciente e mudar essa mania dela. ainda dá tempo né?
Mas é difícil ver minha bebê chorar tanto.
Incrível, basta pegá-la no braço que o problema está resolvido.
O que fazer?

quarta-feira, 16 de novembro de 2011

À Clarissa




Filhinha...

Estava aqui relembrando os nossos primeiros dias em casa... Faz quase 45 dias. Eu te olhava dormindo, te olhava mamando, te olhava acordada e chorava. Chorava a todo o tempo. Seu pai ficava todo preocupado comigo, perguntava o que estava acontecendo... E sinceramente eu não sabia explicar. Só sabia que meu peito transbordava amor. Dóia de tanto amor. E eu chorava porque saberia o quanto seria difícil ter que me afastar de você por minutos que fossem. Chorava pensando na volta ao trabalho. Eu tinha certeza que não conseguiria te deixar nas mãos de ninguém e já sofria por isso...
Hoje ainda sofro pensando nisso. Mas a minha sensibilidade diminuiu. Hoje já consigo pensar no assunto sem chorar.
Antes você só mamava e dormia. Agora tudo mudou. E mudou tão rápido meu amor!
Você já me olha nos olhos e eu amo isso. Você reconhece quando seu pai chega e fica toda feliz. Você adora o colo dele e conversa muito com seu papai. Você já assiste TV no seu carrinho, mesmo que poucos minutos. Você segura em meu seio e olha em meus olhos quando está mamando e não pode ter ideia de quanto esse momento me deixa feliz. Você já segura mais sua cebcinha, já segue o que você quer com os olhos. E acredito que seu carrinho já está ficando desconfortável pra você dormir... Seu pai estava me falando da necessidade de te colocar no seu bercinho.
Mas é tão difícil pra mim assumir essa possibilidade. Já precisamos mesmo nos separar? Me dói tanto pensar em você no seu quartinho, longe de mim. é tão mais fácil acordar e te ver ali do meu ladinho, mexer seu carrinho, ver que está tudo bem. Acho que irei inúmeras vezes ao teu quarto pra ver se está tudo bem.
Vou tirar sua babá eletrônica do armário e segunda pôr em prática essa ideia. Pelo menos vou tentar né?
Olho pra você e ainda choro. Choro mais de alegria. Como Deus foi maravilhoso comigo. Primeiro por colocar seu pai em minha vida, depois por me dar você.
Afinal o que mais uma mulher pode querer que um homem apaixonado, compreensivo e companheiro? Que uma filha saudável, linda e amada? Não consigo pensar em mais nada!
Amo você minha bebê!

segunda-feira, 14 de novembro de 2011

É de verdade?


Família feliz e papais orgulhosos!


Fomos comprar um brinquedo e olha a sugestão da vendedora. Super original né?

Nosso maior orgulho!

Sábado foi o primeiro passeio oficial de Clarissa ao Shopping. Confesso que fui com medo! Medo dela berrar horrores com fome, de ter de ficar passeando com ela pendurada no meu peito. O pai dela logo pediu pra eu dar o Nam, pra garantir. Mas resolvi confiar em meu taco. Ops, decidi confiar no meu leite. Deixei-a mamar a vontade, dei seu banho e arrumei-a. Pronto. Fomos!
No caminho ela já foi dormindo em seu bebê conforto. Basta o carro andar que ela dorme. rs
Chegando no Shopping decidimos expermientar o canguru. Ela amou!!!
Dormiu assim que a colocamos em meu colo...
O que não esperávamos é que nossa menina fizesse tanto sucesso em seu primeiro passeio. Todos me paravam pra elogiá-la, pra dizer o quanto ela era fashion, e acreditem: pra perguntar se era de verdade. kkkkkkkkkkk
O povo pensava que eu estava andando com uma boneca gente!
Vocês já devem até saber que roupinha ela usou né??? De oncinha. Não a mesma da maternidade, outra!
Por onde eu passava ou entrava tinha gente pra elogiar, dizer que é linda, perguntar se era de verdade, etc. Eu ficava até sem graça, mas confesso, que o orgulho era maior do que a vergonha. rs
O pai dela também ficou se achando.
o mais engraçado foi quando sentamos pra lanchar. tinha um casal em nossa frente, com um filho de 2 anos e uma bebezinha no carrinho. Eu só via o homem dizendo que era e a mulher jurando que não. ela veio se aproximou de mim... Tentava ser discreta mas não conseguia. No fim, quando foram embora ela veio me dizer que Clarissa parecia uma boneca e que ela tava apostando com o marido que ela não era um bebê, mas sim uma boneca. Falou da roupinha dela e deu os parabéns!
Esse passeio nos rendeu boas risadas...
Daí nessas horas você percebe que todas as noites de sono valem a pena.
E o melhor de tudo, andamos todo o tempo com ela dormindo. Nem precisamos de fato dar o Nam. Chegamos em casa com ela dormindo. Coloquei seu pijaminha, dei de mamar e cama de novo.
A família durmiu super feliz!

sábado, 12 de novembro de 2011

De volta à normalidade



No bercinho - dobra as perninhas e empina o bumbum - o jeito preferido dela
Toda empacotada
No braço, só dorme assim
No almofadão tirando um cochilo
No bercinho de barriguinha pra cima

Obrigada a todas que tem colaborado e comentado aqui. A opinião e dica de vocês é ultra importante pra nós.
Quero agradecer também aos novos seguidores e dizer a Mamãe da Alice que não consigo comentar no blog dela. Amei o blog, mas não consigo comentar. sniff

E eis que era mesmo o tal pico do crescimento o problema da Pequena. Ontem tudo voltou ao normal. Ela já voltou a dormir bem e no seu cantinho. Amo vê-la dormir. É cada pose mais linda e esquisita que a outra.
A amamentação esclusiva também vem dando certo. 3 dias sem Nam. Uma grande conquista! Ontem ela dormiu tão bem que meu marido perguntou se eu tinha dado o Nam a ela. E eu toda orgulhosa falei que não.

Um beijinho a todos os babys e mamães... Fiquem com fotinhos da Clarissa dormindo e aproveitem pra descansar também!

sexta-feira, 11 de novembro de 2011

Amamentação: Tem que ter peito!


Tentei... Juro! Permaneço tentando! Mas é difícil. Pra amamentar tem que ter peito.
Antes mesmo de Clarissa nascer eu já me preocupava mais com a amamentação do que com as dores do PN. Mesmo assim tinha em mente dar a minha bebezinha o leite materno exclusivamente até o sexto mês de vida.
Me preparei por inteira pra isso. Preparei os seios, usei concha de silicone para fazer o bico, usei a esponja vegetal e tomei bastante banho de sol. Tudo para evitar as famosas dores e rachaduras. Na verdade, eu sempre soube que amamentar não é aquela belezura que aparece nas campanhas de amamentação. Eu sabia que era tudo lindo, mas que também poderia ter muita dor, muitas noites de sono e o pior: que o leite não fosse suficiente pro bebe.
Clarissa e eu começamos bem! Na primeira mamada ela já acertou direitinho o jeito de pegar no meu peito e mamou super bem. Tive sorte também porque meu peito não rachou, não sangrou nem doeu horrores como já ouvi falar. É bem verdade que o peito direito quis rachar, doeu, muitas vezes eu chorava quando ela mamava nele, mas me segurei, aguentei, permaneci com os banhos de sol e tudo se resolveu...
Tudo parecia perfeito. a Pequena mamava como bezerro e se satisfazia. Até que ela começou a querer ficar 24h no meu peito. Dia e noite... E chorava, se esperniava, com meu peito na boca. Puxava e resolvi checar o que tava acontecendo. Percebi que ela sugava e nada saia. Também 24h no peito e querer que sempre saia leite??? De fato, não fui uma vaquinha.
Me segurei, chorei com ela... Insistia no peito, mesmo sabendo que ele não tinha o que ela queria... Até que depois de vários dias sem dormir e a Pequena chorando um dia inteiro no meu ouvido, mesmo com o peito na boca, resolvi buscar outra alternativa.
Eu já estava com mal estar e mal me aguentava em pé. Liguei chorando pro meu marido, dizendo que o peito tava vazio e Clarissa chorava de fome e ele em pouco tempo chegou com uma lata de Nam em casa. Chorei horrores. Senti-me uma fracassada. Como eu não tinha leite pra amamentar minha filhinha? Por quê?
Depois de muito pensar fiz a primeira mamadeira pra ela. E ela tomou em poucos segundos 60ml de Nam. Depois disso ela dormiu feito um anjo.Chorei mais ainda. Realmente era fome que ela sentia. Ela tinha apenas 9 dias quando isso aconteceu.
No dia seguinte, os seios amanheceram vazando leite e cadê a Clarissa conseguir pegar? Com apenas uma mamadeira, ela já não queria mais meu peito e chorava de fome... e eu chorava insistindo. Não é possível, meu peito tá cheio e ela não pode ter desaprendido tão rápido a mamar... Ela chorava de fome, mas não me rendi. No fim da manhã enfim ela reaprendeu a pegar meu seio e mamou como nunca. Depois dormiu.
E tem sido assim nos últimos tempos... Durante o dia peitinho da mamãe, a noite Nam - com colherzinha. Ela bebia logo e num instante pegava no sono.
Confesso: pensei só em mim! Pra mim era bem mais prático dar o Nam a noite. Eu não aguentava mais ficar com ela pendurada no peito quase que 24h. Aquilo tava me fazendo mal. E com o Nam ela ficava literalmente dopada e eu conseguia dormir um pouco mais.
Pois é, o que começou com apenas uma mamadeira, começou a se estender por várias durante o dia e noite, e o peitinho ia ficando em segunda opção.
Percebi que cada vez mais ela preferia o Nam ao meu peito. Minha produção estava diminuindo.
Quando fui à médica me assustei com o peso de Clarissa. Ela nasceu com 3,834kg; depois ficou com 3,600kg e em menos de um mês está com 4,700kg. Engordou 1,100kg em menos de um mês? Choquei!
A médica disse que está tudo bem com ela, mas pediu pra ficar alerta com o peso.
desabafei com ela a respeito do Nam e meu peito. Ela pediu pra insistir no peito. Que quanto mais ela sugar, mais leite irei produzir. Que o leite materno tem inúmeras vantagens pro bebê, evita várias doenças, inclusive obesidade... Que era uma opção minha, que realmente eu tinha que me doar quase que 24h no começo a ela, mas é o melhor pra ela.
Ela explicou: o leite materno é como um peixinho grelhado com legumes, e o Nam é uma feijoada. Por isso quando ela toma o Nam logo dorme, fica dopada, super cheia. Mas o que é melhor: o peixinho grelhado ou a feijoada?
Depois dessa simples conversa resolvi insistir no peito. Eu não quero ficar sem dar de mamar a minha Pequena. Apesar de perder muitas horas de sono a noite, não tem coisa mais prazerosa do que ver seu sorrisinho após a mamada ou vê-la segurar meu peito quando mama. É um momento único, só nosso e não quero perder isso. E parece que está funcionando. Tenho percebido que a produção aumentou. Que ela está ficando mais satisfeita com meu peito. Claro que reclama, anda sentindo falta da feijoada. Confesso que tenho sentido falta de ela dormir logo e mais tempo. É duro passar a noite em claro, passar horas com ela no peito... Mas quero o melhor pra ela, e vou insistir no peito! Sei que é passageiro, que é só até fazermos uma rotina certa e a produção realmente deslanchar... Só que a vantagem é que os benefícios são pro resto da vida!

quinta-feira, 10 de novembro de 2011

Rapidinhas...



Eu adoraria fazer um post enorme sobre o tema amamentação - preciso falar sobre isso - e visitar os blogs das amigas, mas Clarissa não deixa... Hoje é o terceiro dia que minha Flor só quer meu colo e peito 24h.
Ontem passei a noite toda em claro, porque ela só conseguia dormir no meu colo... Aí eu tive que dormir na cadeira de amamentar com ela nos braços, porque deitar na cama com ela em cima de mim me causa medo.
Estou me dando inteira a ela, mas sem saber o que fazer. Muitos dizem que é manha... affff ow povinho\!
Descarto isso, pois desde que nasceu minha filhinha sempre dormiu sozinha em seu cantinho e durante o dia, quando dormia em meus braços eu tratava de colocá-la no berço e fazer outras coisas.
Estou apostando que seja o tal pico do crescimento, pois ela teve consulta médica antes de ontem e estava tudo normal...
A propósito, ela fez sucesso no consultório.
A menininha que nasceu com 50cm e 3,834kg, agora está com 54,5cm e 4,700kg. Na minha opinião, engordou demais! A Dr pediu pra ficar alerta... No post sobre amamentação falaremos sobre isso.

sábado, 5 de novembro de 2011

Um mês com Clarissa


Um mês com você filha... Um mês? Já? Como passou rápido. Hoje você acordou, me olhou nos olhos e sorriu... Parece que queria dizer que estava virando mocinha e já sabia quem eu sou. Depois começou a procurar meu peito e te dei de mamar por minutos a fio. Muitas vezes você parava de sugar e ria. Meu coração vibrava com aquilo. Que momento mágico, só nosso esse né filhinha?

Enquanto você sorria, eu relembrava os nossos primeiros dias em casa. Eu, super sensível, chorava demais, chorava por tudo. Não era choro de tristeza, nem de desespero, nem de quem não sabe o que fazer. Desde seu primeiro dia de vida você foi um amor comigo. Só mamava e dormia. Sempre serena, calma, linda! E eu chorava por isso. Chorava de alegria, chorava de agradecimento a Deus por ter tido uma filha tão saudável... E chorava ainda mais porque não sabia como ia conseguir te deixar para trabalhar quando passar a licença maternidade. Por este motivo choro ainda hoje. Realmente não sei como vou conseguir te deixar nas mãos de outra pessoa para voltar ao trabalho. Mas ainda faltam seis meses... Depois falaremos sobre isso.

Hoje devemos falar só de coisas boas. Só de alegria. E é isso que você tem trazido para mim e para seu pai. Alegria, felicidade, união e ainda mais amor. Vivemos e respiramos por ti filha. Todos falam que não existe amor igual ao de mãe... E eu agora tenho a certeza de que realmente só quem é mãe pode saber o que é esse amor. Um amor tão forte, tão puro, tão sem limite. Um amor que ultrapassa todas as barreiras, que chega a doer de tão grande que é.

Ai filha... Como eu te amo! E acho que a primeira coisa que você falará será: “eu te amo”. Porque eu falo isso no seu ouvidinho a todo instante, a todo momento... E você ama, e você se acalma, e você sorrir quando falo.

Ser sua mãe é a melhor coisa desse mundo. Todos dizem que nasci pra isso. Mesmo operada de PC fiz questão de cuidar de você desde o primeiro dia em casa. Só quem dar banho em você sou eu, quem troca sua fralda sou eu, quem te arruma sou eu... Quero aproveitar o máximo cada segundinho ao seu lado.

No início foi um pouco difícil me adaptar com as acordadas no meio da noite. Você acordava faminta pra mamar e eu estava exausta. Sonhava em tirar uma noite de sono direto. No entanto, quando você não se acorda, quem acorda sou eu, na horinha certa de te dar peitinho... e acordo feliz. Pois pra mim essa é uma das melhores horas...

Infelizmente não tive leite suficiente pra te dar e tive que complementar com o Nam nas mamadas noturnas. Nem por isso desisti. Continuo insistindo no leite materno e na esperança de que a produção cresça.

Durante esse mês tenho acordado as 4h30min para te dar de mamar e depois disso já vamos pro seu banho de sol. Após o banho de sol, demora um pouquinho e te dou seu banhinho. Você ama! E volta a dormir.

Ultimamente tenho te notado mais esperta. Não quer mais dormir o dia inteiro como antes. No dia do aniversário de seu pai a casa estava cheia de gente. Todos vieram pra comemorar seu mês de vida e o ano de papai. E você não quis perder a festa. Ficou acordadinha todo o tempo. Passando de braço em braço, sem manha, sem choro. A noite dormiu como um anjooo. Que benção.

No seu dia você estava linda. Toda produzida esperando as visitas. Notei que você agora já acompanha a voz de mamãe. Quando falo você me procura... Você também Já enxerga a imagem da Tv e fica com olhinho vidrado. Ah! Já não posso mais te deixar na cama. Você já mexe muito e corre o risco de cair... Agora só carrinho e berço.

Filha esse foi o melhor mês de minha vida. Continuo me sentindo feia, continuo inchada. Mas estou imensamente feliz. Você é a alegria da casa. Quando seu pai chega, você acorda na hora e ele fica todo feliz porque você reconhece a voz dele.

Que papai do Céu continue te abençoando filhinha e você continue crescendo saudável.

Te amooo!

Nesses 30 dias você usou:

237 fraldas

4 pacotes de lenços umedecidos

1 sabonete líquido Granado

2 higiapele

Muito algodão

Pomada anti assadura dermodex prevent

75 cotonetes

1 lata de leite Nam - poderíamos pular essa parte nera?

terça-feira, 1 de novembro de 2011

Saudade


Amo esse momento. Por mim era leitinho só do peitinho!

Com macacão Gap da tia Malu

Olha o jeito de dormir... O pai ama esse bumbuninho empinado!

Oie gente... Saudade!
Por aqui tudo na santa paz. Clarissa está dormindo no momento. Tenho milhares de coisas a fazer.
Amanhã é niver do paizinho dela e farei uma festinha surpresa pra ele, aproveitarei e já comemorarei o mêsversário de Clarissa junto.
Estava desde cedo com ela no peito e finalmente ela dormiu. Então vou aproveitar pra ir fazer as unhas e ficar bonitona né?
Estou cheia de coisas pra dividir com vocês mas hoje vim só deixar umas fotos pra vocês verem como a Flor já cresceu...
E todos os dias ainda choro e rio com ela. Muito linda, inteligente e abusada quando tá com fome. Até o abuso dela é lindo!
O peitinho da mamãe aqui ainda não consegue dar conta do recado em tempo integral não. Apesar de tomar bastante líquido e da dienta balanceada, cadê o leite em livre demanda? Isso me entristece... Assunto pro próximo post...

Xero grande.

quinta-feira, 27 de outubro de 2011

Os momentos na maternidade



São tantas coisas pra dividir com vocês... Tanta coisa que eu queria ter dito pra vocês e que por algum motivo não vim contar. O negócio é que quero priorizar o que faço no meu tempo vago. Hoje, dia 27, faz exatamente um mês que saí de licença maternidade e, acreditem, quando penso que daqui a 6 meses terei que voltar a trabalhar... Choro, me desespero e penso duas, três, milhares de vezes se irei mesmo conseguir. Terei que conseguir!
Por isso procurei me dedicar aos estudos. Estudar pra um concurso com salário melhor, menos horas trabalhadas. O governo promete inúmeros daqui pra lá, então vamos que vamos. Fiz um horário de estudo que tenho que seguir e o negócio é estudar sempre que Clarissa me deixa. E ela tem sido bem boazinha comigo.

O post aqui é mega atrasado, mas quero deixar registrado como foram os momentos pós parto no hospital e em casa... Simbora?

Eis que após a pediatra me mostrar Clarissa pela primeira vez e eu ter a imensa vontade de tirá-la dos braços dela e ficar lambendo e cuidando de minha cria, não me lembro de mais nada após ela ter ido dar o banho em Clarissa. Aliás, lembro-me sim. Lembro-me de ter olhado pro meu marido e ter dito: não saia de perto da Clarissa pra nada! E ele foi... E eu capotei. Quando acordei já estava numa maca no corredor da maternidade. Eu tremia de frio. Robinho estava de meu lado, me cobrindo com um cobertor grosso e dizendo: fique tranqüila, esse frio é normal. Eu na mesma hora perguntei por Clarissa... Eu ouvia um choro de bebê tão lindo que de repente cessava e de repente vinha com força. Perguntei se era ela, ele disse que sim, que ela estava se enrolando pra ir conosco por quarto. Chorei! A enfermeira veio e colocou ela em cima de mim. Eu não podia tocá-la, nem ninar e também não conseguia conversar com ela, mas foi automático: quando a enfermeira colocou-a em cima de meu corpo, imediatamente ela parou de chorar e não começou mais. Parecia conhecer que enfim ela estava no lugarzinho dela.

No quarto pediram a roupinha que ela iria vestir. Minha vontade era fazer aquilo. Levantar da cama, pegar a roupinha e vesti-la. Mas o PC só permite que a gente se levante após 12horas de anestesia. Afff Como tem gente que pode optar por um parto assim? Enquanto a enfermeira aplicava soro e remédios em mim, tia Ana ia vestindo sua roupinha de oncinha... E ela chorava agoniada. Acho que preferia que a mãezinha dela a trocasse. Depois disso o momento único: colocaram-na pela primeira vez para mamar em meu seio. Foi incrível: ela pegou de primeira e saia muito colostro. Chorei. No fundo eu não acreditava muito que teria leite, mas tive! Ela não chorava, parecia um anjo. Não pedia pra mamar, não pedia colo, não pedia pra trocar a fralda. Nada! Apenas dormia ali naquele bercinho, coladinho na minha cama, como eu pedi. Não consegui fechar os olhos por um minuto durante toda a madrugada... Minha tia e marido entre um cochilo e outro pediam pra eu dormir, descansar, que o dia seguinte seria puxado, teríamos visitas... Mas eu não consegui nem fechar os olhos. Eu parecia não acreditar que minha filha tinha nascido. E tão linda, e tão saudável, e tão quietinha. Como sonhei!

Vez ou outra as enfermeiras vinham pedir pra eu colocá-la no peito. Pra estimular a produção, porque fome ela não tinha mesmo. Minha vontade era de ficar com ela em meus braços, ninando, esquentando seu corpinho... Mas ela dormia tão bem no bercinho e eu estava em uma posição tão ruim na cama. Totalmente deitada, não podia sentar... Tudo por conta da anestesia.

Como minha grande Pequena nasceu com 3,834kg os médicos solicitaram medir a glicose dela a cada 6horas. Ai que judiação... Quando furaram pela primeira vez o pezinho dela, eu chorei junto. Depois ela se mostrou forte igual a mim, e se acostumou com a picadinha. Não chorava mais! Lindaaaaa.

Quando amanheceu eu estava louca pra tomar um banho, me levantar... Mas só fui liberada após o almoço. Levantei com ajuda de marido, mãe, cunhada... RS E tomei meu banho sozinha. Todos se impressionaram comigo. Disseram que eu estava ótima. Não tive gases, nem dores fora do comum. Claro que estava dolorida, o pé da barriga doía, não consegui colocar a cinta e quando me olhei enfim no espelho tomei um baita susto: eu estava toda inchada. Meu rosto estava enorme! Olhei pra minha barriga e me deu vontade de chorar. Ainda tinha barriga ali e eu queria que todo o inchaço, barriga e gorduras ganhos na gestação sumissem como passe de mágica. Que ilusão. Até hoje ainda não sumiu!

Fiquei mais de 1 hora no banho, me maquiei, vesti a melhor camisola e contrariando a todos da família, que disseram que eu não podia fazer esforço algum, peguei minha Clarissa nos braços pela primeira vez. De verdade! Lágrimas... É mágico! É mágico!

Muitas visitas, muitos elogios a nós, muito amor por todo o quarto. Todas as enfermeiras queriam ver a oncinha tão falada da maternidade. Sério, fizeram fila pra ver Clarissa. Além de grande, gordinha e linda, ela estava com uma roupinha diferente... E o povo queria ver aquilo. No fundo as músicas de ninar que marcaram nossa gestação e fotos dos 9 meses. Todos amaram!

Já eram quase 17horas quando recebemos alta da pediatra... Clarissa foi furar a orelhinha. Creiam: não chorou! Por sorte, filmei. O pai dela a colocou no bebê conforto, foi descendo com as milhares de malas e presentes. O carro estava cheio... Clarissa dormia... Passava pelos corredores e todas as enfermeiras e médicos queriam se despedir. A oncinha ficou famosa.

Minha mãe decidiu ir conosco pra minha casa. Lá fora era frio, já estava escuro... Meu marido trouxe o carro pra gente não se molhar. Eu notava o orgulho dele na face. Estava estampado!

Ele pegou o bebê conforto junto com Clarissa e colocou no carro. Pegou em minha mão e me ajudou a entrar... Tão atencioso, amoroso, dedicado! Enfrentamos um trânsito chato na volta pra casa... Mas nada nos estressava. Nosso calmante dormia como anjo. Entrei em casa com ela nos braços. Apresentei-a a cada cômodo, até levá-la ao seu quartinho. Troquei sua fraldinha pela primeira vez, cheirei muito seu rostinho, dei de mamar e coloquei em seu carrinho, ao meu lado da cama. Dormimos uma noite inteira, nem parecia haver criança ali. E por vezes, no meio da noite, eu e meu marido ainda alisávamos minha barriga, esquecendo que Clarissa não habitava mais nela. Esquecendo que Clarissa já estava entre nós!